quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sem opinião?

Em um tempo não muito distante, havia uma menina, quase moça, que adorava política, se envolvia em todas as questões, lia todos os jornais disponíveis e defendia suas opiniões com unhas e dentes. Com esse comportamento, perdeu alguns amigos, ganhou outros, sempre acreditando que poderia ajudar na construção de uma sociedade mais justa. A menina relamente acreditava no seu sonho. Os anos se passaram, o país mudou, muitas coisas avançaram, outras regrediram, mas o mundo se tornou um pouco melhor para uma boa parte da população. A menina cresceu, tornou-se mulher, mas foi, aos poucos, perdendo a fé no ser humano. E ganhando fé em Deus. Durante sua vida profissional, encontrou gente de todo tipo, viveu um pouco no coração do mundo político e hoje, apesar de ainda trabalhar duro, não pode dar um pio sobre a sua verdadeira opinião. Ócios do ofício.

domingo, 23 de setembro de 2012

Em conversa com um grande amigo, comentei que agora, na faixa dos 40, deveríamos estar mais tranquilos, o que ele discordou veementemente. "Imagina, a vida está apenas começando". Concordei. Tenho uma ânsia enorme de viver. E olha que já vivi bastante. A vida está mudando. Assim como eu, os que amo estão envelhecendo, mas a gente envelhece apenas no físico. Tenho alma de menina. Uma vontade enorme de fazer muita coisa, de realizar sonhos que ainda não realizei. Claro que um dos meus maiores objetivos é investir fundo na educação do meu filho, vê-lo homem e feliz, pleno em suas escolhas. Mas ainda tenho planos pra mim, pra minha vida. E não é que aos 46, praticamente uma senhora, me descubro apaixonada como uma menina de 15? O que antes para mim era improvável, após um relacionamento relativamente longo e desgastante, acinteceu e esqueci todo o passado e estou pronta pra um futuro novo.d Não importa se esses planos serão materializados, mas a vontade de fazê-los dar certo me dão um ânimo extra, uma alegria juvenil.... Amar, dedicar energia em conquistar o outro, se alegrar com os pequenos carinhos e descobrir-se novamente apaixonada me fez acreditar que a vida realmente é um eterno recomeçar. Dar um passo atrás do outro, nem que seja no escuro. Nem que seja em terreno desconhecido... Não temer o tombo, o escorregão, os tropeços, é dar uma nova chance à vida. É esse o momento especial que ando vivendo. E estou por demais feliz. E que venham as coisas novas... E se não vierem, tenho a tranquilidade de saber que estou viva por dentro. Como há anos não me sentia.... Realmente, viver é mto bom!