quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Vida corrida

Há tempos que não escrevo aqui, nem acolá. Minha paixão pelas palavras tem se restringido à edição de textos jornalísticos, ao corre-corre da redação, a problemas emergenciais que existem num jornal. Sinto falta da minha vidinha de repórter, de cavar pautas, de entrevistar inúmeras pessoas, de toda e qualquer faixa social, de todo e qualquer assunto que vire uma boa matéria. Tenho me sentido meio fora do mundo real, apesar de viver dentro de um ambiente pulsante como uma redação de um jornal diário. São tantas histórias, tantas agruras, tanta coisa boa e tanta coisa ruim. E eu como mera espectadora. Ainda que tendo que definir manchetes, estar absolutamente plugada com o que ocorre na cidade, no Brasil e no mundo. Ainda assim, mera espectadora. Vivo a maior parte do meu tempo dentro do jornal, convivo mais com meus colegas do que com meu filho, paixão da minha vida. E ainda assim me sinto realizada profissionalmente. Dá pra acreditar? Se preciso ficar até a uma da manhã, às 3 da matina, tá td bem. Me canso, me chateio, fico possessa. Vou pra casa e td passa. Amanhã é um novo dia. Dia de mto trabalho, de mta correria, de reuniões intermináveis. Ainda assim descubro em cada um uma fonte de vida, de histórias, de felicidades e de tristezas. Assim é a vida. A minha vida. Boa noite!